Menino de 7 anos é detido e algemado por agredir professor

Mãe da criança descreveu prisão como ‘abuso policial’ em Miami

Um menino de 7 anos foi detido e algemado após agredir um professor dentro da escola, em Miami, nos Estados Unidos. A confusão aconteceu na última quinta-feira, quando o professor pediu que o menino parasse de brincar com a própria comida na lanchonete. O aluno se recusou e foi retirado do local. Inconformada com a atitude do educador, a criança, então, o agrediu com socos, puxões de cabelo e chutes nas costas.

O menino parou com as agressões somente depois de cair no chão com o professor. A criança foi internada no Miami Children’s Hospital e passou por exames psicológicos para avaliar se seria uma ameaça a outras pessoas. A policial que apreendeu o menino o enquadrou na “Baker Act”, uma lei na Flórida que permite que pessoas mentalmente doentes sejam encaminhadas a um centro de saúde mental por 72 horas, mesmo contra a sua vontade.

Em entrevista à AP, a mãe do aluno, Mercy Alvarez, afirmou que seu filho não tem transtorno mental e descreveu a prisão como “abuso policial”.

“Se meu filho não estava mais agressivo quando chegamos, como eles dizem que ele estava, por que tomar medidas tão extremas? Isso é demais para um garoto da idade dele. Não pode ser um procedimento normal”, disse.

Mercy disse ainda que o menino não mostrou comportamento agressivo em casa e que está tentando entender por que o filho começou a apresentar problemas na escola desde o início do ano letivo. Segundo ela, em anos anteriores, a criança tirava boas notas e mostrava bom comportamento.

No Facebook de Mercy, ela agradece ao apoio de outros pais e amigos que viram a atitude da polícia como um excesso. Ela ainda compartilhou um vídeo publicado nas redes sociais que mostra o momento em que o menino é retirado do carro da polícia algemado.

“Um amigo postou este vídeo no dia em que eu me senti impotente ao ver meu filho de 7 anos algemado por uma oficial escolar, acusado injustamente de ter problemas mentais. Eu abri uma caixa de pandora ao gritar que esta injustiça acontece contra centenas de crianças que, como o meu filho, foram vítimas do mesmo procedimento. Mas eu quero que essa oficial saiba que nunca mais fará mal a nenhuma criança desta maneira. Aos pais que passaram pelo mesmo, só posso recomendar que não se calem. Uma criança de 7 anos não merece viver uma situação como esta. Peço a todos os meus amigos que compartilhem para que se conheça esta injustiça”, escreveu.

Aluno algemado após agredir professor já havia sido detido por socar colegas

A apreensão, que incluiu a internação do menor de idade em um centro de saúde mental, revoltou os pais da criança, que negaram qualquer transtorno psicológico e denunciaram “abuso policial”. Um relatório mostra que era a segunda ocorrência do tipo envolvendo o menino. Em novembro, ele desferiu socos contra colegas e funcionários e foi agressivo com o policial que o abordou, segundo o documento.

Fonte: O Globo.

NOVO VÍDEO: “Estão me mandando coisas horríveis, mais amor!”

Um vídeo onde duas jovens zombam de um funcionário da limpeza da rede de lanchonetes Bob’s no Rio de Janeiro viralizou nas redes sociais nesta terça-feira (2). O caso chegou a ficar entre os assuntos mais comentados do Twitter durante a manhã. Na gravação, que foi feita pelas próprias agressoras, elas dão risada do homem negro que limpava o chão do local. “Lambe o chão”, disse uma delas.

Na gravação, elas davam risada do homem e gritavam, enquanto ele exercia seu trabalho com a cabeça baixa. Em outro vídeo, uma das agressoras afirma que a vítima era “um preto feio e horroroso” e chegou a fazer comentários sobre o órgão sexual do rapaz.

Nas redes sociais, internautas afirmaram que o caso configura racismo e algumas pessoas chegaram a compartilhar a notícia falsa de que o homem tinha sido demitido depois da atitude delas. Por meio de suas redes sociais, a rede de lanchonetes se posicionou sobre o caso explicando o que tinha acontecido com o funcionário.

“Repudiamos todo tipo de preconceito, discriminação ou assédio. Lamentamos que ainda existam comportamentos assim. As informações sobre a demissão do nosso funcionário são inverídicas e ele continua trabalhando conosco”, afirmou o Bob’s.

As agressoras foram identificadas na internet e passaram a ser perseguidas por algumas pessoas que passaram a ameaçar as duas. Uma delas cancelou a sua conta no Instagram, rede social onde ela tinha postado os vídeos. A outra tornou sua conta nas redes sociais privada pois, segundo ela, estava recebendo ameaças depois da repercussão do caso.

Em sua rede social, uma das mulheres disse que namorou o homem que aparece sofrendo com as humilhações no vídeo e que ela não tinha lidado bem com o final do relacionamento. Ela também afirmou que não era racista. Segundo a mulher, ela estava “fora de si” quando gritou com o jovem no restaurante.

Pessoas boas perdoam mil vezes, mas, quando vão embora, nunca mais voltam

Disso podemos ter certeza: ninguém abusa da bondade do outro pelo tempo que quiser, porque vai chegar um momento que a pessoa vai cair na real, a paciência vai acabar, por mais que haja amor, carinho, e afetividade. 

O mundo está cada dia mais difícil de confiar nas pessoas, por causa da maldade alheia.

Grande maioria das pessoas estão usando mascaras e se fingindo de ovelha, mas são verdadeiros lobos,  as vezes julgamos o coração do doutro de acordo com o nosso e nos decepcionamos, inclusive fazer isso é um perigo.

 Hoje em dia é bem comum ver as pessoas confundindo solicitude com servidão, não valorizam de verdade seus sentimentos genuíno, enquanto você busca apenas reciprocidade.

Abusando do que podemos oferecer, e costumam sempre achar que vamos perdoar tudo que ela fizer, porque na cabeça dessas pessoas, o mundo que está errado, ela não. 

Pessoas boas, perdoam infinitas vezes, porém quando desistem não costuma voltar a trás nunca mais, pois já está cansada demais de dar murro em ponta de faca cega. Não haverá mais perdão ou volta.

Compartilhe este artigo em suas redes sociais e com amigos!

Cenas f0rtes: O mar devolve 700 pessoas m0rtas em Moçambique após Ciclone; assista o vídeo

Na última segunda-feira, 01 de abril, um Ciclone atingiu Moçambique e fez grandes estragos deixando milhares de pessoas doentes que foram diagnosticadas com cóleras e muitas mortes. As cenas do desastre é de cortar o coração e fez muitas pessoas chorarem.

O Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC)  fez um balanço onde apontou o numero de famílias afetadas chegam a 195.287, e o numero de atingidas subiu de de 843.729 para 967.014. Um vídeo divulgado no youtube mostra cenas triste e de partir o coração.

Segundo informações da pessoa que mostra as cenas, são 700 mortos que o mar está trazendo de volta na Africa, cenas terríveis que várias pessoas que foram arrastadas. Após sete dias, o mar devolve os corpos. A cidade mais atingida foi Beira, em Moçambique.

Assista o vídeo, as imagens são fortes:

Não esqueça de compartilhar este artigo em suas redes sociais e com amigos!

“A mulher nasceu para servir o homem”, afirma Andressa Urach

A ex-modelo, agora cristã, também afirmou que o homem é o líder da relação.


Em 2014, a ex-modelo Andressa Urach, passou por uma mudança radical em sua vida, após ter tido uma infecção na perna por conta de aplicação de hidrogel.

Andressa ficou famosa por fazer ensaios nus, sair em capa de revistas masculinas e por participações polêmicas na TV, especialmente no famoso Reality Show ‘A Fazenda’.

O problema de infecção que ela teve devido à aplicação de hidrogel na perna foi tão grave que a ex-modelo quase morreu. Por conta de tudo isso, Andressa se agarrou à fé e se converteu ao cristianismo.

Desde então, a ex-modelo Andressa Urach mudou sua vida da água para o vinho e largou a vida badalada que tinha antes de ter tido o problema de saúde. O caso repercutiu em todo o Brasil.

Ao comparecer no programa ‘Luciana By Night’ da Rede TV!, apresentado por Luciana Gimenez, Andressa admitiu que ao escrever seu livro autobiográfico chamado “Morri pra viver: Meu submundo da fama”, lançado em 2015, ela sentiu náuseas em lembrar de seu passado. A ex-modelo afirma que seu passado é vergonhoso e que se arrependeu de muitas coisas que fez.

Mais de 500 mil cópias da autobiografia da ex-modelo foram vendidas.

A ex-modelo frequenta a Igreja Universal e no programa ‘Luciana by Night’ ela defendeu a ideia de que as mulheres devem ser submissas aos homens.

“A mulher nasceu para servir e dar carinho. Se o marido não gosta de algum comportamento ou roupa, por que eu não vou concordar com ele, se sei que ele quer o melhor para mim? Já o homem é o líder, a cabeça da relação. Com carinho e jeitinho, não precisamos impor nada, conseguimos tudo o que quisermos de um homem se soubermos lidar com ele”, declarou.

Além disto, Andressa demonstrou repudiar o movimento feminista: “Essa coisa de ser muito feminista, não dá”.

Atualmente, Andressa Urach é youtuber e conta com quase 200 mil inscritos em seu canal. O canal da ex-modelo é voltado para culinária e, segundo a própria Andressa, foi criado com o objetivo de incentivar mulheres que não têm afinidade com a culinária a se interessarem por cozinhar.

Apesar de Andressa demonstrar ter mudado, muitos acreditam que ela usou isso para conseguir vender seu livro autobiográfico e conseguir dinheiro, já que, após a infecção, a perna da ex-modelo ficou com cicatrizes e por conta disso seria difícil conseguir se manter como modelo. Mas parece que Andressa não liga muito para o que as pessoas dizem e segue afirmando sua fé por onde passa.

Fonte: Terra

Após ataque racista, Rapaz do Bobs ganha bolsa 100% em universidade

Um vídeo em que duas jovens xingam um funcionário da rede de fast-food Bob’s viralizou nesta terça-feira (2) e se tornou um dos assuntos mais comentados no Twitter. Nas imagens, Júllia Rodrigues e Thaís Araújo pedem que o jovem, negro, “limpe o chão, seu fodido. Lambe o chão”.

Júllia deletou a conta no Instagram, mas, antes, fez um vídeo se posicionando. “Não é porque o menino era preto não, porque ainda tem pretos bonitinhos, mas ele é um preto feio e horroroso”.

“A UNISUAM repudia todo e qualquer ato de racismo e aproveita para reforçar que nenhuma atitude preconceituosa será tolerada.  “

Vejam o post da pagina oficial sobre o caso:

A UNISUAM repudia todo e qualquer ato de racismo e aproveita para reforçar que nenhuma atitude preconceituosa será tolerada. #MaisAmorPorFavor 💙🦉

Posted by UNISUAM on Tuesday, April 2, 2019

Mc Mirella fala sobre video de racismo na Bob’s e resolve ajudar o rapaz

Com um bom coração, a funkeira MC Mirella resolveu ajudar um atendente de uma grande rede de Fast Food que foi vítima de racismo por duas jovens. A cantora ficou comovida com o vídeo e está disposta a ajudar o homem. Os fãs ficaram comovidos com a atitude da funkeira e ela explicou o motivo de querer ajudar.

Nossa mentira que fizeram isso com o homem. ALGUÉM ACHA ESSE HOMEM PRA MIM POR FAVOR. QUEM É ELE!??!? De onde?? Alguém conhece?????“, escreveu Mirella ao ver o vídeo em que duas adolescentes aparecem xingando o homem, atrás de um vidro na lanchonete.

Quero ajudar ele ser uma pessoa bem sucedida, com sucesso e feliz. Vai ficar sendo conhecido como o cara que sofreu humilhação da ex no seu ambiente de trabalho? Não mesmo quero pra ontem os contatos desse moço, vai todo mundo conhecer ele se depender de mim“, declarou a cantora. “Gente eu não quero me aparecer em cima de ninguém não eu já sei que fui muito humilhada eu não aguento ver gente sendo humilhada não“, por fim, Mirella explicou.


A cantora declarou recentemente que cresceu com ‘complexo de inferioridade’. Disse que se sentia inferior as colegas de escola e amigas, não somente em relação ao corpo, mas por diversos motivos. E agradeceu a Deus na publicação pela sua trajetória e pelas coisas que conquistou. Vale lembrar, que o bairro em que a cantora mora, foi atingido no mês de março por uma grande enchente e ela compartilhou a situação para obter ajuda para os moradores.

Fonte: observatoriodosfamosos.bol.uol

Mesmo após pedido de desculpas, jovens sofrem várias ameaças, veja

Um vídeo onde duas jovens zombam de um funcionário da limpeza da rede de lanchonetes Bob’s no Rio de Janeiro viralizou nas redes sociais nesta terça-feira (2). O caso chegou a ficar entre os assuntos mais comentados do Twitter durante a manhã. Na gravação, que foi feita pelas próprias agressoras, elas dão risada do homem negro que limpava o chão do local. “Lambe o chão”, disse uma delas.

Na gravação, elas davam risada do homem e gritavam, enquanto ele exercia seu trabalho com a cabeça baixa. Em outro vídeo, uma das agressoras afirma que a vítima era “um preto feio e horroroso” e chegou a fazer comentários sobre o órgão sexual do rapaz.

O vídeo está disponível 

Nas redes sociais, internautas afirmaram que o caso configura racismo e algumas pessoas chegaram a compartilhar a notícia falsa de que o homem tinha sido demitido depois da atitude delas. Por meio de suas redes sociais, a rede de lanchonetes se posicionou sobre o caso explicando o que tinha acontecido com o funcionário.

“Repudiamos todo tipo de preconceito, discriminação ou assédio. Lamentamos que ainda existam comportamentos assim. As informações sobre a demissão do nosso funcionário são inverídicas e ele continua trabalhando conosco”, afirmou o Bob’s.

As agressoras foram identificadas na internet e passaram a ser perseguidas por algumas pessoas que passaram a ameaçar as duas. Uma delas cancelou a sua conta no Instagram, rede social onde ela tinha postado os vídeos. A outra tornou sua conta nas redes sociais privada pois, segundo ela, estava recebendo ameaças depois da repercussão do caso.

Em sua rede social, uma das mulheres disse que namorou o homem que aparece sofrendo com as humilhações no vídeo e que ela não tinha lidado bem com o final do relacionamento. Ela também afirmou que não era racista. Segundo a mulher, ela estava “fora de si” quando gritou com o jovem no restaurante.

Vejam a repercussão em alguns prints:

Bebê de dois meses é arremessado da janela de casa; avó da vítima é presa suspeita de cometer crime

Vítima foi socorrida para o Hospital Geral do Estado (HGE) após ser arremessada de altura de seis metros, na manhã desta quarta-feira (3), no bairro de Cosme de Farias, em Salvador.

Um bebê de dois meses foi arremessado da janela de casa onde mora, na manhã desta quarta-feira (3), no bairro de Cosme de Farias, em Salvador. Segundo a Polícia Civil, a avó da criança, suspeita de cometer o crime, se apresentou na Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Dercca) e foi presa em flagrante. 

De acordo com informações da polícia, a vítima foi arremessada de uma altura de seis metros. O bebê foi socorrido e encaminhado para o Hospital Geral do Estado (HGE). Não há informações sobre o estado de saúde dele, nem sobre as circunstâncias do ocorrido. 

Segundo a Polícia Civil, Eli Machado de Souza, de 53 anos, foi autuada por tentativa de homicídio. A motivação do crime ainda não foi descoberta. Não há detalhes sobre os pais da criança. O caso é investigado pela Polícia Civil. 

Fonte: G1.

NOVO VÍDEO – Jovem pede desculpa e chora após comentários racistas a funcionário do Bob’s: “fiz uma brincadeira de mau gosto”

Ontem, jovens que fizeram comentários racistas a funcionário do Bob’s.

Elas foram criticadas nas redes sociais. Uma das jovens, Jullia Rodrigues, gravou um vídeo afirmando que fez uma “brincadeira de mau gosto” e que tem “amigos negros”.

VÍDEO: