Garoto droga menina e abusa dela enquanto ela morria

 

Jovem Brian Varela, de 20 anos, foi condenado a 34 meses de prisão por ter deixado morrer Alyssa Noceda de 18 anos, depois de oferecer drogas, abusando dela e ir jogar jogos de vídeo em vez de tomar ela a um hospital

A sentença foi dada em 15 de novembro e o fato aconteceu em Lynnwood, Washington, nos Estados Unidos, em fevereiro deste ano, quando Varela convidou Noceda à sua casa móvel e lhe ofereceu drogas como Percocet e THC, o que causou uma overdose nela.

 

Varela estava ciente do que estava acontecendo com a garota, ainda abusou s3xualmente dela, tirou fotos e foi jogar videogame enquanto a menina morria, disseram as autoridades no julgamento.

“Estou horrorizada É uma piada. É como um tapinha na mão por tirar a vida de alguém e est#prar outro ser humano”, disse a mãe de Alyssa, Gina Pierson.

Pierson disse ao site do KCPQ que ele está pedindo justiça depois que o homem responsável pela morte de sua filha passa menos tempo na prisão do que um ladrão de carros.

A polícia diz que aconteceu dentro de uma casa móvel perto do Lago Marta. Documentos judiciais indicam que Noceda usado maconha e medicamentos prescritos que Valera compartilhados com ela, mas logo perdeu o conhecimento e os seus lábios virou azul.

Documentos judiciais dizem que Valera enviou fotos e mensagens de texto para amigos que disseram que ela desmaiou e que ele teve relações s3xuais com ela, mas nunca pediu ajuda.

“Ela morreu de uma overdose aguda combinada de fentanil e uma overdose genérica para Xanax “, disse Pierson.

Depois de abusar de Alyssa, o menino decidiu deixá-la nas más condições em que ele estava e jogou videogames até adormecer; Na manhã seguinte, Brian percebeu que a menina não estava mais viva e a deixou para ir trabalhar.

Durante suas horas de trabalho, Brian contou a um de seus colegas o que havia acontecido, ele alertou a polícia.

Agentes de segurança foram ao apartamento do est#prador e encontraram Alyssa morta; informou que suas pernas estavam quebradas, porque Brian aparentemente tentou colocar o corpo em uma caixa para enterrá-lo e escondê-lo mais tarde.

Varela foi condenado a menos de três anos de prisão por homicídio no segundo grau, est#pro no terceiro grau e eliminando ilegal de detritos.

“Ele escolheu não fazer nada. Ele sabia o que estava acontecendo, ele tornou óbvio na mensagem de texto e nas fotos que ele enviou para seus amigos “, disse Pierson.” Ele sabia tudo o que estava acontecendo com ela e decidiu não fazer nada.”

Valera poderia ter pedido ajuda e evitado acusações de porte de drogas graças à lei do bom samaritano do estado. Em vez disso, os registros judiciais dizem que ele est#prou sua vítima, tentou esconder a evidência de DNA em seu corpo e planejou enterrá-lo em um buraco perto de Marysville.

A mãe de Noceda diz que espera que os legisladores prestem atenção a este caso e que mude a lei estadual para garantir que outros infratores enfrentem punições mais severas.

Policial reage a assalto e mesmo baleado mata dois bandidos; Vídeo

Um soldado da Polícia Militar do Maranhão, que não teve o nome revelado, arriscou a própria vida ao reagir a uma tentativa de assalto. Ele estava de folga e foi abordado dentro do carro que dirigia na rua Mato Grosso, na Vila São Luís, em São José de Ribamar, por três bandidos.

Ao perceber a ação criminosa o PM atirou de imediato contra os assaltantes e atingiu dois, mas foi também alvejado com um tiro na face. Um dos bandidos morreu na hora, outro foi socorrido mas morreu ao dar entrada no Hospital Municipal Dr Clementino Moura, o Socorrão II, na Cidade Operária. Já o terceiro meliante conseguiu fugir.

O policial militar também foi encaminhado para o Socorrão II mas o estado de saúde dele não foi divulgado até o momento.

 

VÍDEO:

 

Criança fica órfão após pai não aceitar separação e matar a ex com tiro na cabeça

Um homem matou a ex-companheira baleada e depois se matou na manhã desta quarta-feira (28) em Planalto, na Região Norte do Rio Grande do Sul. Segundo a Polícia Civil, Clair Ferencz, de 44 anos, atirou na cabeça da ex-mulher Roseli Salete Lazari Ferencz, de 42. Em seguida, ele disparou um tiro na própria boca. Os vizinhos ouviram os disparos e chamaram a Brigada Militar.

De acordo com a polícia, na casa de Clair, onde o crime aconteceu, ainda havia sinais de um líquido inflamável, provavelmente solvente, o que indica que o homem tinha planos de atear fogo. O filho do casal, de 12 anos, conseguiu fugir da residência. Roseli e Clair haviam se separado há cerca de dez dias.

Na terça-feira (27), os dois participaram de uma audiência de conciliação no Fórum de Planalto. Na ocasião, a mulher afirmou que não desejava prosseguir com a representação por crime de ameaça contra o ex-marido. Mesmo assim, a Justiça deferiu a medida protetiva, estabelecendo que o agressor deveria manter distância mínima de 100 metros da vítima e estaria proibido de se comunicar com a ex-mulher por 90 dias, sob pena de prisão em caso de descumprimento.

Na audiência, ficou acordado que Roseli iria buscar seus objetos pessoais na casa do ex-companheiro na manhã desta quarta, sendo que Clair não poderia estar em casa no horário combinado. No entanto, quando a mulher guardava os pertences, foi surpreendida por ele.

“O clima da audiência de ontem não permitiu, ao Ministério Público pelo menos, pressentir que aconteceria uma desgraça dessas. Havia um clima amistoso, tanto que a visitação do filho ficou acordada pelas partes”, afirmou o promotor do Ministério Público de Planalto Rodrigo Mendonça Pinto dos Santos, que acompanhou a audiência.

“O fato dela ter ido, ou se disponibilizado a ir, nos denotou que não haveria um risco de uma barbárie como essa”, acrescentou.

Roseli morreu no local, e Clair chegou a ser socorrido, mas morreu quando recebia atendimento no Hospital Nossa Senhora Medianeira. Os corpos estão no Instituto Médico Legal de Frederico Westphalen. O velório dos dois deve ser realizado ainda nesta quarta-feira em Planalto.

 

Posted by Rosi Lazari Ferencz on Wednesday, August 2, 2017

Pai mata e arranca parte do saco escr0tal de homem que estupr0u seu filho

Um agricultor foi preso  suspeito de matar um homem que teria violentado o filho dele, de 9 anos, no município de Tonantins, a 865 km de Manaus. Após o homicídio, ele se entregou à polícia. A criança teria sido amarrada dentro de um curral.

O agricultor se apresentou na sede do Conselho Tutelar de Tonantins, dizendo que havia disparado contra o suspeito, que era conhecido da família. O homem teria aproveitado que estava somente a mãe e a criança em casa, para cometer o abuso.

“Chegou no conselho este caso. Ele [o suspeito] sempre aparecia lá pela casa da família. Na versão do pai, o suspeito apanhou um açaí e mandou a esposa [do agricultor] preparar. No que a mãe da criança se entreteu na cozinha, ele chamou o menino para um curral e se aproveitou da criança lá”, disse o conselheiro Luís José Custódio.

Segundo testemunhas, o suspeito chegou a amarrar a criança dentro do curral para poder cometer o abuso. Ao perceber a chegada do pai, ele fugiu para uma área de mata. A família socorreu o menino e o agricultor entrou na mata atrás do agressor.

Dentro da floresta, o pai teria desferido dois tiros contra o homem, que morreu no local. Em seguida arrancou o saco escrotal do estuprad0r e depois foi até o Conselho Tutelar para se entregar.

“O pai da criança confessou [que matou o cara]. Ele falou que deu dois tiros. Ele disse que correu para o mato atrás do dele”, disse o conselheiro.

O conselheiro acionou os policiais militares de Tonantins. Os policiais apresentaram o suspeito no 54º Distrito Integrado de Polícia (DIP) município, na noite desta quinta-feira (6).

O Conselho Tutelar do Município disse que vai disponibilizar apoio psicológico para a família e para a criança vítima de violência s3xual.

Pedreiro cava túnel de sua casa até ao bar e ia para lá todas as noites enquanto sua esposa dormia.

O caso aconteceu na Bahia, o pedreiro conseguiu a proeza de cavar um túnel desde sua casa até um bar que fica a 150 metros de distância.

Valdecir Bezerra, de  38 anos, demorou cerca de 3 anos até finalizar o túnel e durante 1 ano ele visitava o bar todas as noites enquanto sua esposa dormia.

O “Caminho da felicidade” foi descoberto após Valdecir ser intimado a prestar esclarecimentos na promotoria, por estar sendo acusada de danificar o encanamento da residência de um de seus vizinhos. Em seu depoimento o pedreiro afirmou que sua esposa roncava demais, e isso o motivou a ter essa ideia maluca.

VÍDEO: